Crianças de 2 a 4 anos já podem tomar a vacina contra a nova gripe (HINI).


Crianças com idades entre 2 e 4 anos e 11 meses podem se vacinar contra a nova gripe a partir desta segunda-feira (24). Até agora, apenas as crianças que tivessem entre seis meses e dois anos haviam sido imunizadas contra o vírus.

A decisão de ampliar a vacinação para mais este grupo foi anunciada na sexta-feira pelo ministro da Saúde, José Gomes Temporão. Ele também anunciou o adiamento do final da campanha de vacinação contra a gripe A (H1N1) para o dia 2 de junho. Segundo o ministro, a vacinação está aberta para adultos com idades de 30 a 39 anos e gestantes, além das crianças. 

Os grupos das gestantes e pessoas com 30 a 39 anos foram os únicos que ainda não atingiram a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde, que é vacinar 80% da população estimada em cada um dos grupos. Até agora, 61 milhões de pessoas foram imunizadas.

 

 

Vacina contra H1N1 pode dar falso positivo para HIV, diz Anvisa.

 

Nota da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) revela que as pessoas que tomaram a vacina H1N1, contra a nova gripe, podem ter resultado positivo para HIV mesmo sem ter o vírus que provoca a Aids. Segundo a técnica Lílian Inocêncio, responsável pela área de Laboratórios do Departamento de Doenças Sexualmente Transmissíveis e Aids (DST/Aids) do Ministério da Saúde, o falso resultado positivo pode ocorrer até 112 dias após a pessoa ter se vacinado contra a gripe.

O problema já havia sido detectado pela Anvisa em março, mas foi abordado nesta sexta-feira (21) pelo DST/Aids. Na nota de março, a agência dizia que “podem ser obtidos resultados falso-positivos em testes imunoenzimáticos para detecção de anticorpos contra o vírus da Imunodeficiência Humana 1 (HIV 1), o vírus da Hepatite C e, especialmente, HTLV-I, devido à produção de IgM em resposta à vacina contra influencia A(H1N1)”.

 

Vacinação contra H1N1 em grávidas e jovens fica abaixo da meta.

 

A Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe H1N1 imunizou 47,3 milhões de pessoas em todo o país. Segundo o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, apenas as gestantes e jovens de 20 a 29 anos não alcançaram uma imunização satisfatória, de 80% do público-alvo.

De acordo com Temporão, 63% das gestantes foram vacinadas em todo o país. Mas o número vem aumentando, no último dia 13, eram apenas 48% de grávidas vacinadas. “No começo da campanha houve muito ruído de comunicação e informações falsas na internet. A vacina não é prejudicial nem para a mãe, nem para o bebê. É importante que elas se imunizar, já que o maior número de óbitos por H1N1 ocorreu entre as grávidas. Vacinem-se”, pediu o ministro.